Artrose em Animais

Saiba mais sobre a doença que atinge aproximadamente 20% dos cães. Conheça os principais sintomas e tratamentos, e veja como um médico veterinário especialista pode ajudar.

O QUE VOCÊ IRÁ VER

O que é?

Entenda mais sobre a doença

Principais Sintomas

Saiba o que observar em seu cão ou gato

Tratamentos Existentes

Tratamentos tradicionais e alternativos

Dúvidas Frequentes

Perguntas mais comuns e ajuda

Precisa de um veterinário?

Visão geral sobre a doença

Cães e gatos, que antes viviam livres no quintal, hoje convivem com as famílias, dentro de casa. Essa proximidade facilita a identificação antecipada de eventuais problemas nos animais. Com isso, a parcela de gastos da família com cuidados com seus bichinhos de estimação cresceu bastante, e, junto, a expectativa de vida dos animais aumentou.

Cães de raças com porte menor viviam em média 9 anos de idade, há aproximadamente 20 anos atrás. Hoje alcançam em média 18 anos de idade. Com o envelhecimento do animal, o líquido e a membrana sinovial, responsáveis por proteger articulações, sofrem severa degeneração. Assim, as juntas do animal recebem com mais intensidade o impacto de saltos e corridas, ou de movimentos repetitivos mais leves.

O resultado são inflamações nas juntas, conhecidas como artrose, uma doença crônica que afeta aproximadamente 20% dos animais idosos, e ainda com maior intensidade os cães de raça de grande porte.

A artrose em cães ou gatos também é conhecida como Osteoartrite, Doença Articular Degenerativa (DAD), Artropatia Degenerativa ou Osteoartrose (OA). Animais com artrose sentem muitas dores e passam a apresentar alterações de comportamento. Ou seja, cães que antes tinham como costume brincar e correr pela casa, passam a evitar esforços físicos e movimentos que sempre foram rotina do animal.

%

de probabilidade de um cachorro idoso ter osteoartrose

cães com artrose recebem tratamento todos os meses no Brasil

Principais Causas da Osteoartrose

A displasia coxofemoral pode ter origem hereditária ou decorrer de situações específicas dos hábitos e qualidade de vida do cão.

Em geral, recomenda-se evitar filhotes de cães nos casos em que ambos os pais possuem o problema. Contudo, quando não é unicamente hereditária, a anomalia da displasia coxo femural pode ser causada por diversos motivos, tais como:

  • problemas na nutrição do cachorro, seja por conta de alimentação desbalanceada ou por excesso de sódio,
  • sobrecarga de exercícios físicos nos filhotes e cães mais jovens, mesmo que por conta de brincadeiras com o animal,
  • exposição excessiva a chumbo e à poluição, e
  • hábitos de postura do animal, que podem gerar sobrecarga e maior desgaste dos ossos em um determinado lado do corpo.

A artrose canina ou osteoartrose tem como fator principal o desgaste das cartilagens do animal, o que ocorre com maior intensidade em casos de cães e gatos de idade avançada. Por isso, o envelhecimento do animal é considerado a principal causa da doença.

Além da idade, outros fatores podem multiplicar as chances de um animal desenvolver essa doença crônica, sendo eles:

  • animais com excesso de peso ou sobrepeso e que apresentam uma vida sedentária, em geral por conta de uma alimentação desbalanceada ou falta de exercícios físicos,
  • animais com displasia coxofemoral, doença em que o ossos crescem em uma proporção menor do que o músculo, tem maiores chances de desenvolver artrose pela sobrecarga de articulações, e
  • animais submetidos a cirurgias que exigem um longo tempo de recuperação também podem sobrecarregar alguma articulação e aumentar o risco de desenvolverem um artrose.

Algumas raças de cães, tais como o Pastor Alemão, o Labrador e o Rottweiler,  apresentam como característica um rápido desenvolvimento e crescimento do animal, o que aumenta a predisposição para desenvolver artroses.

Principais Sintomas de Animais com Artrose

Animais com artrose ficam mais quietos e parados. Costumam evitar andar e levantar, e chegam em alguns casos a mancar durante leves caminhadas. As dores decorrentes do desgaste e inflamações das articulações podem ainda gerar outros sintomas tais como falta de apetite, perda de musculatura e até mesmo letargia, ou seja, um estado de longa inconsciência, semelhante ao sono profundo.

Cães com artroses severas podem apresentar agressividade inclusive com familiares. Devido a grande intensidade das dores que sentem, podem demonstrar reações de defesa se tocados no local afetado pelas informações.

Como é Feito o Diagnóstico?

A artrose em animais é uma patologia crônica de difícil diagnóstico em suas etapas iniciais. Isso ocorre por que o próprio cão ou gato procura compensar eventuais dores ou desconfortos em determinadas articulações colocando mais força em outras, o que impede o dono de observar por exemplo algum tremor ou mancar do seu animal doméstico.

A melhor forma de se diagnosticar a artrose em cães e gatos é verificar continuamente os hábitos do animal. Por exemplo, animais que executam movimentos repetitivos somente com uma das patas podem estar dando indicação de que sentem dores no outro lado.

Outro caso muito comum é o de machos que passam a urinar sentado, sem levantar uma das patas. Muitas vezes, se negam a subir escadas ou param repentinamente em leves passeios, ou se movimentam de forma muito lenta, principalmente ao sentar ou deitar, e ao levantar.

Cuidados com o Seu Cão Doente

A artrose é uma doença crônica e sem cura. Inclusive, é bastante comum o relato de donos de animais que percebem que seu cão ou gato está depressivo, com dificuldade de se locomover e desânimo para atividades simples como um passeio pela manhã ou no fim da noite. Contudo, se a artrose for controlada com cuidados específicos, a intensidade das dores pode reduzir bastante e inclusive a doença pode estabilizar no estágio em que se encontra.

Um animal com o peso adequado a sua raça e ao seu porte vai sobrecarregar menos os ossos e articulações, e, com isso, garantir uma melhor qualidade de vida. Portanto, a alimentação e atividade física moderada são uma boa forma de reduzir o efeitos da artrose. Outro cuidado importante é controlar o frio e a umidade a que o animal fica exposto, pois ambos podem acentuar os processos inflamatórios que ocasionam a artrose crônica.

Há também certas intervenções cirúrgicas que em alguns casos podem melhorar de forma significativa o estado do animal, como por exemplo a retirada dos esteófitos da articulação ou introdução de material viscoelástica para lubrificação. E em casos mais extremos, recorre-se a uma prótese total para substituição da pata ou outra parte do corpo que já não funciona adequadamente.

Tratamentos Alternativos para Artrose

Os veterinários indicam certos  tratamentos fisioterápicos para fortalecimento da musculatura do animal, contudo, visto que dependem bastante da disponibilidade de tempo do dono do animal, ainda são pouco explorados. Dentre eles, destacam-se a fisioterapia à laser e a hidroesteira, com movimentos controlados e de reduzido impacto nas juntas.

Além das possibilidades de controle da artrose já mencionadas, a medicina veterinária apresentou avanços nos último anos e já dispõe de tratamentos alternativos confiáveis e ainda pouco mencionados na literatura, mas que certamente trarão resultados concretos para a melhoria da qualidade de vida do animal, como por exemplo as células-tronco veterinárias utilizadas para controlar os efeitos da artrose.

ATENÇÃO

Este conteúdo é meramente informativo, escrito por leigos e não substitui, em hipótese alguma, a consulta a um médico veterinário ou serviços especializado. Não utilize as informações deste site para realizar diagnósticos ou aplicar medicamentos e tratamentos por conta própria.